.

" Em momentos de crise, só a imaginação é mais importante que o conhecimento".
(Albert Eisten)

domingo, 7 de março de 2010

A PRIMEIRA VEZ - PARTE II


Depois de tantos escravos é interessante lembrar da pureza da primeira vez, é sempre algo magico, e eu posso dizer que sou uma Domme de sorte, por que todas a primeira vezes da minha vida foram maravilhosas, inclusive sexual, pois a minha primeira relação sexual foi BDSM, mas isso fica para o próximo capitulo.

O PRIMEIRO ENCONTRO COM UM ESCRAVO,



Hoje vou falar da primeira vez que encontrei um escravo, eu não tinha nenhum tipo de experiência, estava com medo, e mesmo assim excitadissima, passava um monte de coisas na minha cabeça, hoje eu sei que o medo também me excita, gosto de ver o medo nos olhos do meu escravo, sentir seu coração pulsando, olha eu mudando de assunto vamos ao primeiro encontro BDSM.

Tinha menos uns 20 anos, estava conversando com um futuro escravo no msn, achava estranho os erros de português dele, não era de quem não sabia escrever, mas de quem não conhecia a língua, depois de uns dois meses trocamos telefone, ai percebi ele tinha um sotaque estrangeiro, ele era italiano e estava morando no Brasil a 3 ou 4 meses, morando sozinho e um gigantesco apartamento no Belvedere,ele era um alto executivo da Fiat, conversamos todos os dias por duas semanas, até marcarmos o nosso encontro.

Como eu não tinha nenhuma experiência, e ainda estava receosa, marquei no Bahia Shopping, lá tinha duas entradas, uma pela bahia onde marquei, e outra pela espirito santo onde entrei, fiquei lá em cima ao lado da escada rolante esperando ele chegar, pois cheguei 10 minutos antes, e fiquei observando. Quando deu a hora exata eu liguei, vi um homem retirando o telefone do bolso do paletó, ao colocar no ouvido, vi que era ele, falei que estava no andar de cima que era para ele pegar a escada rolante, que o estava esperando lá em cima.

Hoje eu não me importo tanto com a aparência física de um escravo, até acho a beleza algo que atrapalhe a dominação, fica mais difícil e cansativo domar um novo escravo que tem certeza da sua beleza, mas eu tinha 20 anos, então isso me encantou. Ele tinha uns 40 anos, cabelos cortado bem curtos, grisalhos, olhos azuis, corpo atlético, não era musculoso mas um falso magro que se via sob aquele lindo terno azul marinho, tão clássico, foi uma linda imagem para alguém que estava começando, isso me veio a memoria quando vi uma foto que recebi, tanto que ilustro este post. Bem ficamos por ai mesmo, tinha um bar fora da praça de alimentação com mesas em madeira, e uma decoração rústica, era muito bonito, ficamos conversando até o shopping fechar e sairmos pela entrada de serviço, ainda não sabia como era feia uma entrada de serviço de um shopping, hoje faz parte do meu trabalho. Depois saímos dali quase expulsos, e fomos no único lugar aberto em uma segunda a noite, o Top bar, no 23º pavimento do edifício metrópole, no centro de BH, lá a luz é mínima e quase nos cega, até os olhos se adaptar aquele ambiente, o teto é lindo, branco um leigo diria pontiagudo, mas eu diria que são estalactites feitas de gesso, que torna o ambiente bem mais agradável, ficamos até fechar, quase 3 da manhã, nossa foi uma excelente conversa, depois ainda não estava satisfeita, acabamos indo ao seu apartamento, tinha um lindo carro que até hoje não sei qual é, não tenho muito interesse em marcas, não tinha nem carteira de motorista na época, fui de táxi. Ao chegar em seu apartamento tinha muito espaço, pois a quantidade de moveis era pequena, que estava a poucos meses no Brasil, e o apartamento era imenso, o coloquei de 4, vendei seus olhos, mandei que ficasse nu, e usei sua gravata de guia, e o fiz andar de 4 por todo o apartamento, foi divertido. o amarrei, vendei seus olhos, e o deixei esperando. queria seu coração pulsando e esperando, fui a cozinha, peguei algumas pedras de gelo, rolei na minha mão e as introduzi em seu ânus, uma a uma, coloquei umas 6 unidades, gostei de vê-lo gemer, dei apenas alguns tapas em sua bunda, queria-a vermelha, já que ele era bem branco, sentei na cama e o puxei pela coleira (gravata) que ainda estava em seu pescoço, e ele me fez um maravilhoso oral, nunca tinha sentido algo tão forte, foi muito bom, ele me levou em casa, cheguei as 6:00 da manhã.

Acho que foi por isso que continuei, por que a minha primeira vez, foi maravilhosa, a partir daquele dia, continuei, nem todas as vezes fora boas, mas a primeira vez me deu forças para as outras. Finalizando, ainda ficamos juntos por 6 meses, depois ele voltou a Turim, mas ficamos bons amigos.


Espero que tenha gostado, na próxima parte conto conto como foi a minha primeira experiência sexual, quando eu deixei de ver virgem. (tecnicamente).

4 comentários:

Lets de Assis disse...

Obrigada pelos elogios ao blog do meu Monstrinho. Volte sempre!
Gostei muito do teu espaço também.
Beijos
LV

A Pandora disse...

Que bom que gostou,
Seja sempre bem vinda,
também olhei seus dois blogs,
muito legal.

Bjs.

MeNiNa MaLvAdA disse...

nossa amiga, perdi o fôlego aqui huahuahua, bjos semnpre bom passar aqui

A Pandora disse...

É sempre bom ter você por aqui,
e estes posts sobre a primeira vez, vão continuar.

Bjs.