.

" Em momentos de crise, só a imaginação é mais importante que o conhecimento".
(Albert Eisten)

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

Fortaleza - Meu agradecimento


Depois de todos os relatos, de todos os momentos vividos em Fortaleza, vou confessar que o melhor, foi a forma como fui recebida, minha amiga me esperava em casa, desfiz as malas, entreguei presentes, conversamos tanto por muito tempo, e é claro, dormimos tarde.

Minha amiga, parou o trabalho e no feriado fomos a praia, tomamos cerveja, almoçamos, o mar estava bem bravo então eu apenas molhei os pés, a Beth mais corajosa entrou no mar.
A preparação da festa, a decoração, os detalhes, durante a festa, os chicotes compartilhados, meu braço até cansou, mas também foi relaxante. foi divertido, conversar com tanta gente nova, saber suas experiencias, dúvidas e desejos.







O passeio triplo de segunda-feira, a parada para água, ficar com a Beth olhando as fotos dos cantores pintados nas paredes do bar. Ir no mercado, fazer comprar, comprei tanta coisa legal, uma dica quando for ao mercado central de Fortaleza, pegue o elevador, vá até o ultimo andar, e comece as compras por lá, pois é o mais barato, aprendi a duras penas, pois da primeira vez, comecei de baixo e fui subindo, a medida que subia os mesmos produtos ficavam mais baratos, e aí comprava mais para compensar, depois disso começo sempre do ultimo andar, e após as compras, descemos para comer uma deliciosa tapioca, e durante todo o passeio foi muito bom.


Todas as nossas refeições juntas, sempre foram regadas a boas risadas e bons papos, e quero agradecer ao passeio a pé, onde sem celular fomos a uma deliciosa cafeteria, onde comemos e rimos, eu reclamei um pouco pela falta do celular, pois queria fazer check-in e tirar fotos com ela, mas foi bom não ter o celular e o passeio acabou ficando leve.
Quero agradecer, a Beth, todos os momentos que tivemos, sua companhia, sua amizade, suas hospedagem, espero sua visita em BH, para retribuir tanto carinho.
Obrigada!

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

Fortaleza - A Despedida das brincadeiras

Esta ultima brincadeira quase não aconteceu, se eu não o conhecesse a muito tempo, desde as ultimas vezes que eu fui a Fortaleza, acho que não teria brincado com ele. Pois ele faz o tipo rebelde, um fetichista, daqueles que querem coisas que eu nunca faria, por que praticas que não gosto, falei com ele que faria somente aquilo que eu gostava, ficou fazendo doce, e deixei para lá, pois ficamos conversando por alguns dias, e ele ou estava com medo ou queria que eu realizasse os seus desejos, mas depois que deixei para lá, ele me procurou e falou que viria, sabia que tinha que ser do meu jeito, eu até pensei em fazer algo que o agradasse, mas no final só aconteceu o que eu realmente eu queria.
Ele tocou a campainha, o coloquei no chão, e fomos conversar, gosto de conversar com meus brinquedos assim pela primeira vez, não era a primeira vez dele, então não falamos sobre regras, ou sobre as coisas vão acontecer, mas com ele foi apenas uma conversa informal, sobre o tempo que ficamos sem nos ver.
O levei para o quarto, claro que deixei a porta aberta, mandei que tirasse todas as roupas, amarrei suas mãos e as pendi na fabulosa grade do quarto, amarrei uma corda em seu pescoço, amarrei seu pênis e bolas bem separados, terminei na ponta do pênis e amarrei na corda do pescoço. comecei a dar tapas embaixo do seu saco, várias e vezes, mas como ele fechava as pernas, peguei outra corda e amarrei seu tornozelo, e amarrei na cama, assim ele manteria a perna aberta, enquanto eu batia em seu saco.
Depois comecei a puxar seus mamilos com as pontas dos dedos, ele começou a gritar, e como os vizinhos poderia escutar, peguei a sua cueca, coloquei em sua boca, e amarrei com uma fita, uma fita ótima que nunca tinha visto antes, pois ela só cola nela mesma. Voltei a puxar seus mamilos, por que ele gritou, eu disse iria piorar, então ao invés de puxar com as pontas dos dedos eu puxei com as pontas das unhas, e falei que se ele gritasse puxaria mais forte, e puxei sempre mais, e alternava com os tapas embaixo do saco.
O deixei pendurado, por algum tempo, para prolongar a sua agonia, sai do quarto, fui pegar água, sentei na cama, bebi água em sua frente, ele estava com sede eu sei. pois ele me pediu água, deixei apenas um gole bem pequeno apenas para molhar a garganta.
Depois continuei alternando as pequenas torturas, soltei o pescoço, retirei as cordas do CBT, e coloquei lacres de plástico. O coloquei de joelhos, para me fazer oral, até o meu gozo entrar em sua boca e ele o sorver, após algum tempo, relaxada, só por que ele não gosta de tarefas, retirei todas as cordas usadas e dei a ele para lavar, e também meu te tênis, e disse que somente iria abrir os lacres para ele ir embora, após ele finalizar a limpeza. 
E foi assim minha ultima brincadeira em Fortaleza destas férias.
Foram dias divertidos e espero ter muito mais, agradeço minha grande amiga pela hospedagem, e pelo momentos deliciosos que tive nesta linda terra.




terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Fortaleza - O brinquedo emprestado II

 

          Na terça feira, acordei mais cedo do que o de costume, fiquei lendo na cama, finalizei um bom livro que li durante a estadia, pois acordava antes de todos, e foi um excelente passatempo, o Escafandro e a borboleta, conta a história de um executivo que teve uma doença, após um acidente de carro, e apesar de consciente, e ver tudo que acontecia ao seu redor, não conseguia se comunicar com o mundo externo, e mesmo assim, preso em seu escafandro, ele tenta se libertar. Triste e lindo.
Vamos começar a falar deste dia, começou leve, café, leitura, e sol. Quando deu meio dia, chamei o brinquedo da Deusa, para arrumar a cozinha, ele não tinha muito costume com o metiê, mas fez o trabalho muito bom, arrumou toda a cozinha, e enquanto minha amiga cozinhava, eu sai, e fui conhecer outra suite do motel Conteiner, isso mesmo, voltei lá, pois eles tinham dois tipos de suítes então fui conhecer a outra, e chegando lá que eu percebi que durante o dia, os conteiners eram quase lilares, e durante a noite eu podia jurar que eram cor de alumínio pintada.
          Quando entrei na suíte é claro que tirei fotos, mas uma coisa me deixou meio triste, não tinha a haste da cortina para eu pendurar o escravo.

          Então como sempre improvisei, o amarrei na cadeira, deu um certo trabalho, mas ficou bem firme, e o chicote começo a comer, bunda quente realmente é a minha praia. Adoro colorir e marcar. Sem falar de usar lacre para fazer cbt, e assim a parte que eu mais gosto é cortar o lacre, pois o medo faz o coração dos subs parar, talves não parem, mas a respiração com certeza fica suspensa.










Fortaleza - Nova diversão com o coreano


          Após a festa, passei metade do domingo na cama, a festa tinha sido tão boa que o ultimo que foi embora as 7:00 da manhã, então estávamos com bastante sono, então descansamos. Estávamos todos precisando, tanto que só sai de casa era mais de 20:00 horas, encontrar com um amigo baunilha, para conversar fiado, e conhecer uma hamburgueria nova, e descobri que o lugar era famoso, pois teve uma gigantesca briga por causa de uma porção de batata.

          Eu iria brincar no domingo, mas ainda estava cansada, então marquei na segunda cedo, falei para o coreano vir cedo e trazer o pão. Se eu tivesse esperado o pão para tomar o café da manhã tinha cansado. Pois eu falei para ele chegar as 9:00 da manhã, e ainda dei um ultimato, não se atrase, pois a cada minuto de atraso, eu vou aplicar 10 chicotadas, e vcs não vão acreditar apesar da promessa ele se atrasou 40 minutos, uma coisa que eu não entendo, por que as vezes eu faço promessas difíceis, pois apesar de eu ter apreciado cada uma das chicotadas, fiquei com os braços doloridos. 
          Assim que ele chegou, eu o amarrei na grade da janela do quarto,  eu vou falar que amei aquela grade, pois deu para fazer várias amarrações diferentes. E amarrei também seu pênis e bolas bem separados, estiquei a corda e amarrei a corda no pescoço, e depois dele todo amarrado, comecei a aplicar as chicotadas, alternei os chicotes, o de corda que eu fiz, e o presente que eu ganhei da Rainha Frágil, um lindo chicote de tiras, delicioso, muito bom de usar, e ainda uma palmatoria que estava na canga da sala. 
          O dia estava até fresco, mas ao final do castigo eu estava transpirando, foi um grande exercício, então o deixei amarrado, fui tomar água gelada, depois deitei um pouco, sua bunda ficou maravilhosamente quente, vermelha, e linda, depois que parei de transpirar, o coloquei de 4 no chão, coloquei luvas, e fiz algo que fazia muito tempo que não fazia, fisting, a sensação de sentir no pulso a borda do ânus apertando é indescritível, só fazendo para saber, e ainda fechei a mão e com os nós dos dedos massageei
sua próstata.e isso durou alguns minutos, acham que acabou? E claro que não, deitei na cama, e foi a vez dele transpirar, pois como eu disse gosto muito do oral dele, pois ele tem um grande prazer e quando eu gozo ele não esperdiça e o bebe todo, completamente, principalmente pois estava na cama que eu dormia, e não queria molhada, nem com meu gozo. E sim tenho ejaculação feminina. E depois de uns 30 minutos, cansada, relaxada, descansei, e o chamei para aninhar ao meu lado, e ficamos ali por um bom tempo. Depois mandei ele se vestir, e dei minhas calcinhas e as cordas usadas para ele lavar!







quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Fortaleza - A FESTA



           Feriado foi meu dia de praia, fazia muito tempo que eu não ia a praia, e a Beth me fez o convite e formos todos a praia, eu a Beth e o escravo dela o Roger, e a família dele, um dia quente, com sol, chuva, e até meio nublado em alguma parte, o mar estava bem brabo, pois apesar da areia estar cheia de gente, a água estava bem vazia, com pouquissimas pessoas se arriscando a entrar no mar, e eu que não peixe, apenas molhei os pés, passamos o dia na praia. e foi tão bom, tão relaxante, que neste dia não teve brincadeira, mas um bom dia de sol!


          A minha amiga Beth fez uma festa para me homenagear, e foi uma festa linda. Neste dia tivemos vários preparativos, a casa foi toda arrumada para a festa, as fotos que irei mostrar foi antes do evento, pois não tirei fotos durante a festa, para preservar a privacidade dos participantes. Mas conheci pessoas ótimas, que vivem o bdsm, pessoas novas que praticam a pouco tempo, e pessoa que o fazer a muito tempo, e todos o fazem com a mesma paixão e vontade que eu tenho. Abaixo tem o link da festa, no blog da Rainha Frágil.




















quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Fortaleza - O brinquedo emprestado!

No dia que eu cheguei em fortaleza, entrei em contato com a Deusa, para marcar um encontro, pois ela super legal e tem um papo divertido. Mas ela estava em São Paulo, não poderíamos nos encontrar, o que me deixou bem triste, mas ela meu deu um presente, perguntou se eu queria um brinquedo para usar na temporada que eu estivesse em Fortaleza, agradeci e aceitei, quanto mais brinquedos melhor. E como estava de férias mesmo, marquei com o brinquedo dela na quarta a noite.
Tá, vcs vão falar que eu estava com muita gula, sim eu sou gulosa, eu adoro bdsm, e já tinha brincado de manhã ao acordar, então eu estava satisfeita, e como eu queria jantar o melhor cachorro quente do mundo, no Barneys, é simplesmente delicioso, mas eu queria matar a saudade, mas como eu ainda não estava com muita fome eu precisava de um exercício para jantar.
Ele leu o nome de alguns motéis perto para eu escolher, e quando escutei o nome Contêiner, acho meio estranho e escolhi este, chegamos lá, e ao entrar parecia que eu estava em um deposito ou porto, vários contêiners organizados um do lado de outro, com espaço entre eles para colocar o carro, ao entrar fiquei surpresa, pois um lugar em que costumo trabalhar, passo horas em um, foi a primeira vez que brinquei em um, vou colocar fotos aqui. Achei inusitado, mas após a
surpresa inicial, iniciei a brincadeira.


Mandei que ele ficasse nú, eu gosto desta parte, ver a vergonha de se despir para uma pessoa que estava completamente vestida. comecei pela parte que eu mais gosto, amarrei seu pênis com as bolas bem separadas, aparrei seu pulso, e passei um corda com alguma folga no pescoço do brinquedo e pendurei na cortina, eu o assustei, era isso o desejado, ver o medo em seus olhos, puxei com força seus mamilos, levantei seu pênis e bati embaixo. fiz ele se contorcer de dor, Até colocar o gancho nele e usar o chicote improvisado.

Agora tem uma coisa que eu me surpreendi, eu não levei
chicote, como pode isso? Que kit meia boca eu fiz, fiquei indignada comigo mesmo, mas então resolvi dar um jeito nisso. peguei a minha maior corda e fiz um chicote, que ficou lindo. Além de lindo ficou também forte, forte e deixou lindas marcas na bunda e pernas do escravo.