.

" Em momentos de crise, só a imaginação é mais importante que o conhecimento".
(Albert Eisten)

terça-feira, 12 de maio de 2015

Pensamentos, paranoias, conclusões, sentimentos de uma primeira vez

Tem um tema que acho importante ser discutido

PRIMEIRA VEZ, O QUE ESPERAR?

Tem muita gente entrando de gaiato no meio BDSM, pessoas que tem certeza absoluta sem ter certeza de nada. Prometem mundos e fundos, entrega total e absoluta, tem uma urgência na entrega, no primeiro encontro.
E eu mesmo com tanto tempo de experiência ainda caio nesta armadilha, tenho um grande problema com tempo, geralmente fico pouco tempo nas cidades, então não dá tempo para o treinamento completo, então já alerto ao escravo, vamos nos divertir, a não ser que me surpreenda muito, não tem chance para ganhar a coleira, pois eu considero coleira algo muito importante, mais importante que um casamento baunilha, pois simboliza a aliança e a entrega de uma vida para uma outra pessoa, e isso não se encontra na esquina, nem na lojinha do seu Zé.
Mas mesmo assim gosto de ter tudo o cuidado do mundo, explicar como funciona, e que não existem verdades absolutas, pois cada um tem a sua forma de ver e praticar o bdsm, desde que seja totalmente e completamente verdadeiro com quem está para lhe servir.
Temos a obrigação de alertar, de falar o que pode acontecer e o que não pode, e somente depois disso ter inicio da prática, mesmo que para isso converse apenas por horas e horas, dias e dias.
Feito isso, até achamos que o candidato a sub entendeu tudo o que falamos e mesmo assim quer experimentar, quer saber como é, o que vai sentir, tudo.

Sei que a primeira vez, como em tudo na vida, é um momento especial para o sub, quando ele não sabe exatamente o que sentir, o que vai acontecer primeiro, a espera do primeiro toque, a sensação suspensa, tudo isso aumenta a aceleração e também majora as reações, pois naquele momento tem um turbilhão de emoções.
O ficar nú, exposto, o primeiro tapa, a primeira chicotada, colocar o joelho ao chão, e se curvar para receber uma coleira, algo que signifique e mostre que vc está lá para servir, dar prazer a quem serve, deve ser o objetivo do escravo, e deste prazer retirar o seu.

O escravo tem que saber também que quando ele é solto, de cordas e amarras físicas, ele ainda tem uma outra amarra que marca muito mais, o emocional e o psicológico, fica martelando tudo na cabeça dele, o que eu fiz? por que me entreguei desta forma, será que isso é normal? Geralmente ele precisa de um tempo para assimilar tudo. E alguns ainda tem a dificuldade em se aceitar.
Como isso tudo pode ser normal?
Como teremos, ela fez o que quis comigo, e o pior ou gostei? Como eu posso ter gostado de tudo o que me aconteceu? Por que eu não parei a brincadeira, quando eu não estava gostando?
depois de todas as perguntas, vem o sentir.
Os momento de lembranças, virar no espelho para ver a marca que ficou, fechar os olhos e sentir tudo de novo, e também chega as decepções, poxa não era isso que eu esperava, pois tem também muita fantasia misturando com a realidade, e com o realizável.

Mas nestes encontros, as vezes acontece o encontro mágico, onde tudo flui muito bem, e onde temos respostas a cada brincadeira, onde a entrega é feita com prazer, E sentimos uma simbiose, troca silenciosa de prazeres e emoções.
E quando estes momentos acontecem, e que sinto que valeu a pena os encontros que não deram certo, pois quando não dá certo, dificilmente é culpa de alguém, (mesmo o sub geralmente sendo sempre o culpado),
Este mês de abril, eu tive um primeiro encontro que valeu a pena, Que vai dar muito outros, onde pode existir um laço, de um bom relacionamento BDSM.



terça-feira, 28 de abril de 2015

As brincadeira de BH - Parte IV

Até ter um titulo mais interessante, vou continuando com as brincadeira de BH, que continuam ótimas.
No ultimo fim de semana que fui em BH, eu me diverti bastante, conheci brinquedo novo, conversamos bastante, pois eu acredito que é preciso desmistificar o BDSM, e trazê-lo para o nosso mundo, o mundo real, ele tem que sair do virtual, as pessoas precisam saber como é bom brincar, pois os paradigmas mudam, e as sensações também, tudo fica mais intenso. Verdadeiro, e o melhor, vivo.
Pois nada, nada substitui o toque. Mas tivemos um encontro apenas para conversar, estes primeiros encontros para conhecer é primordial.
Um café, um sorvete, tudo serve de pretexto para uma boa e acalorada conversa,
Bem vamos começar com a brincadeira foi um fim de semana que usei dois brinquedos diferentes, claro que em dias diferentes, Também já usei ao mesmo tempo,mais isso foi outra história, que já contei aqui.

Deve ter umas tres semanas que comecei este post, pois já vou para BH no fim de semana e ainda não o terminei, escrevi até outros antes de finalizar este.
Então vamos falar de um brinquedo habitual, pois no dia 08 de março, dia internacional da mulher, um dia bem sugestivo, completou um ano depois do retorno que nos encontramos quase todos os meses, uma coisa muita boa que acontece conosco é a cumplicidade, ele me conhece, conhece cada ponto do meu corpo, e sabe como me satisfazer, ensinar é bom, mas o melhor é ver como o escravo aprendeu a lhe servir da maneira que gostamos. mesmo tendo um monte de coisa que não concordamos um com outro, quando o assunto é bdsm e sexo, temos uma comunhão e uma simbiose, vamos continuar nos divertindo.

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Próxima Cidade - Fortaleza onde o BDSM é pulsante


          Estou mega, feliz, pois adoro Fortaleza, apenas de um obra muito trabalhosa iniciada por outra pessoa, cheia de problemas, mas, estar em Fortaleza com as pessoas que adoro, com amigos e brinquedos, será ótimo.
Até o que eu não gostei foi o tempo, são exatos 44 dias, então pouco tempo, mas nos 6 fins de semana que terei, vou tentar aproveitar o máximo, e me divertir.

Chego dia 16/04/2015, e fico até 30/05/2015.

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Encontros e Despedidas em Belém.

É sempre a parte difícil se despedir, mas também mostra que eu fez amigos, amigos que convivemos nem que seja por pouco tempo, e também que desejam se despedir e deixar lembranças.

Primeiro quero agradecer ao Feitor, por ter oferecido uma festa de despedida, regada a costela assada, um cozinheiro de mão cheia, como diria minha mãe. Todos os convidados se divertiram, e o tempo passou que nem vimos, pois chegamos depois das 16:00 horas, e fomos embora passava das dez, para ver o quanto estava animando e divertido.

A despedida final será dia 13/04, em uma segunda feira, sim eu gosto segunda feira, e também é o único dia disponível. Mas sei que será divertido. E será em um espaço público.

Ontem tivemos mais um encontro, desta vez em público, para as pessoas que não puderam ir nos encontros nos fins de semana. Foi divertido pois os fantasminhas apareceram, Nihil, e Cronos, e a turma de sempre, Flávio, LiLy, Carcereiro, o o Feitor fez falta, Foi um papo divertido, rimos muitos, contamos sobre nossa vida BDSM, e estamos vendo crescer o grupo de Belém. Como a maioria estava na água e refrigerante, ontem aconteceu uma coisa inusitada, ganhei do Flávio uma latinha da coca-cola escrito Má, não é a minha cara?


sábado, 21 de março de 2015

Brincando em Belém


Foi por este blog que ele me encontrou, me mandou um e-mail querendo conhecer o meio BDSM, trocamos vários e-mail, mensagens, depois de conversar pela net, pelo telefone e whatsapp, marcamos um encontro para conversar pessoalmente, até o nosso encontro real, marcamos na praça
da República, e foi uma longa conversa, ficamos até o restaurante fechar, depois fomos para o saguão do hotel, e ficamos lá mais algumas horas conversando, e conversando sobre tudo. Sobre as praticas, o que poderia acontecer e o que não poderia acontecer, e nos despedimos.
Falei para ele terminar de ler todo o meu blog. Queria que ele soubesse como era o meio, e o que poderia acontecer, mandei um dicionário, sobre as práticas sm, nem tudo o que tem lá eu faço ou gosto, por que quase ninguém faz tudo, e acho que tudo é muita coisa, mas eu queria deixar tudo sempre claro, e mesmo assim, as pessoas ainda imaginam outra coisa.
A urgência da juventude, eu já fui assim, por que não se consegue colocar o pé no freio, e a culpa também é minha, pois nestas temporadas em outras cidades o tempo é reduzido, então marcamos nosso encontro. Seria sua primeira vez, então expliquei o que aconteceria, e mesmo assim ele não desistiu, eu não queria que ele desistisse realmente, mas eu queria ele totalmente comprometido e ciente do que aconteceria, pois a melhor coisa que se pode fazer no nosso meio é nunca mentir.
Eu gostei da pele dele, é macia, adoro pele de ex-gordo, é a melhor do mundo para pegar, apertar, torturar. E foi isso que fiz, a primeira vez foi para testar sua resistência.
E eu gostei. Eu o torturei como falei que seria.


quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

As Brincadeiras de BH - Parte III

Bem, esta ultima parte não tem foto, não sei por que mas não as tirei, acho que foi por que eu estava bem entretida com a longa brincadeira, olha nada contras rapidinhas, que em certos momentos são ótimas, e eu até adoro , não ter restrições, sem tempo corrido, sem olhar no relógio, sem se importar se é sexta ou sábado a noite, se vamos passar a noite ou não.
Esta brincadeira aconteceu do jeito que eu gosto, fui me deliciando com cada brincadeira, pois ela poderia durar a noite toda ou não. Como eu não lembrava todas as práticas que fiz com ele falei para ele listar, nossa que memória boa viu, pois foram, 19, algumas repetidas e alternadas nas com certeza eu não lembrava de que foram tantas, eu lembrava que durou muito tempo. mas temos uma certa intimidade, depois de anos, as brincadeiras não se desgastam, melhoram com tempo.
Era sábado, a noite, já tínhamos marcado com antecendência chegamos ao motel, mandei que ficasse nú, adoro meus brinquedos nús, assim deixo-os mais envergonhados, pois eu não estou, quero que ele saiba que está lá para ser usado e abusado.
Vamos as privações, coloco silvertape em todo o seu rosto, não quero que ele veja nada.
amarro suas mãos nas costas, coloco perto do guarda corpo da escada, faço-o sentir o chicote, o viro e coloco prendedores de mamilos, gosto de todo tipo de prendedor, desde um cabide com dos prendedores na ponta, pois o coloco na boca do escravo para ficar esticado, prendedores de roupa, tenho um que tem até micro-dentes, já sangrou o bico de um escravo que se mexia muito, e eu puxei apenas uma ponta sem abrí-lo, isso deve ter doido mais do que o normal. E tem um que adoro, que confisquei do meu amigo Adônis, (pedágio por transporte), mas são dois clips de papel presos por uma corrente, que tem um pequeno gancho no centro, que coloco na coleira, é lindo. E uso sempre.
Olha eu me estendendo como sempre, continuando, o virei novamente, usei vários chicotes nele. queria-o com dor, principalmente que ele não gosta, acho que isso me exita também, depois de algum tempo, o coloquei de quatro no chão, coloquei meu plug inflável, inflável e vibratório, o bombeie até não ter mais espaço dentro dele, liguei o vibrador no máximo.
O levantei e coloquei de joelhos, e dei um longo abraço, para ele sentir todo o meu carinho, e como eu estava gostando da brincadeira.
ele ainda estava vendado, assim seus sentidos estavam mais aguçados, o guiei até a escada, amarrei de braços abertos, ele estava curvado, então amarrei suas pernas na porta atras dele, assim ele ficou bem esticado, peguei meu tapete de tampinhas de garrafa e coloquei embaixo dos seus pés, queria o máximo do desconforto, coloquei fones de ouvidos nele, nem sei que musica estava tocando, mas a partir daquele momento ele não mais me escutava, e não escutava nada além da música.
Novamente recomecei o spanking, alternando os chicotes, e as chicotadas, ele não conseguia prevê-las, apenas sentir o momento do açoite. E isso durou muito tempo, para ele deve ter sido horas, mas não passou de uma naquela posição.
Quando o soltei o joguei na cama, subi em cima dele, fizemos sexo, forte, intenso, várias posições inclusive papai-mamãe, máximo beneficio com o menor esforço, quando tinha gozado muito, coloquei o consolo na boca dele, e o amarrei com silvertape, o coloquei de joelhos, estranho que quase nunca uso os brinquedos em mim, são raros os momentos, mas neste dia eu quis novamente, e eu gozei mais outras vezes aquela noite, quando eu estava satisfeita, o coloquei de pé em cima do tapete de tampinhas, não o amarrei, não soltei, apenas o deixei lá, enquanto eu ainda me deliciava da brincadeira.
Não sei em qual momento da noite, o deixei vir para cama, dormimos, ele me acordou com um delicioso oral em agradecimento pela ótima noite. Uma que precisamos repetir. Mas isso será outro dia, e quem sabe outra história.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

As Brincadeiras de BH - Parte II


Eu sou de lua, quando começo a escrever acabo lembrando de várias outras histórias, pena que não tiro fotos de todas as brincadeira, também nem sempre dá pra parar para tirar fotos.

Mas a história que vou contar agora é sobre um brinquedo, que conversamos por meses e meses antes de nos encontrarmos. Parece que eu o conhecia, seu trabalho, sua família, sua vida, seus horários, tudo, mas nem sempre podemos conhecer tudo.

A brincadeira era para durar todo o final de semana, mas é claro, nem sempre é como imaginamos, o trabalho o chamou, mas as 24 horas que passamos juntos, foram bastantes divertidas. as brincadeiras durante a noite, o almoço divertido, fomos almoçar ele com plug inflável e vibrando, se contorcendo disfarçadamente na cadeira, sem ninguém saber do seu suplicio, apenas eu.

Eu sorria de satisfação a cada murmúrio, a cada movimento de dor e desconforto em sua face.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

O próximo encontro em Belém

Os praticante BDSMistas desta linda terra cercada de água, vão se reunir outra vez, e desta vez em um local público, um local que combina com a atmosfera dos praticante, um porão, transformado em um bar, escondido na cidade.

Eu adoro quando as pessoas se conhecem se reúnem e descobrem que não estão sozinhas, e que não somos o bicho papão. Eu costumo dizer que não mordo, mas apenas por que eu não gosto.

E até dia 28/02/2015, o dia do nosso encontro.

domingo, 15 de fevereiro de 2015

As brincadeira de BH - Parte 1

Nas ultimas vezes que fui a BH, brinquei e não escrevi, nenhuma delas, estou com saudades de escrever no blog, pois ele me faz lembrar depois de aventuras deliciosas.
Como deve ter uns dois meses da ultima vez a minha memória não está tão boa, ainda bem que existe as fotos para eu poder lembrar e fixar, as coisas boas da vida.

Um dia delicioso, tranquei o pênis do escravo em um cinto de castidade, por todo o tempo da longa brincadeira, e usei o apenas o meu plug que coloquei em sua boca, e o usei assim.
Para o meu prazer, pois ele assim permanece até que eu fique satisfeita.
foi a primeira vez que usei um escravo assim, e gostei bastante até repeti com outro escravo depois disso. Foi bem divertido.

Uma coisa que não fazia a muito tempo, piscina, como é delicioso ver o escravo se contorcer a cada vez que derramava o liquido quente em seu corpo. E vê-la ficando colorida como um desenho feito na chuva.




segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Primeiro Encontro BDSM de Belém

 


    Sábado, ocorreu o primeiro encontro BDSM de Belém, foi na casa de um Dominador daqui, que Gostei de conhecer, quer dizer ele não é daqui, é paulistano, mas mora a mais de dois anos em Belém, ele a sub dele, Dom Flávio e a sub dele, Eu e um sub que conheci aqui, foram poucas pessoas, mas foi divertido, um encontro embrionário, e o próximo já está marcado seria dia 28/02/2015, desta vez em um barzinho ,um local público, para que tem algum receio, poder ir sem problemas.
      Pois sabemos muito bem como é a cabeça de quem está inciando, muitas perguntas, muitos questionamentos e muitos medos, as vezes sem fundamentos, mas todos tem que passar por isso, aprendi uma coisa com um professor, experiencia não se transmite, se adquiri.
      Quem quiser participar será bem vindo. Vou deixar meu emails no final da postagem. Quem quiser entrar em contato, pode escrever.

      Que aconteça muitos e muitos encontros como o sábado.
       Foi ótimo!!!1

meu email: pandora.domme@gmail.com

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Encontros BDSM em Aracajú



Para os que moram em Sergipe,
Agora tem um grupo se formando, uma turma alegre e divertida, participei de três encontros com eles, todos em barzinho, um local perfeito para isso. Calmo, tranquilo, e onde as pessoas que são apenas curiosas não conseguem aparecer sem serem vistos. É a melhor parte, pois uma amiga me contou que em Salvador quando avisam o nome do bar para quem ão confirma, as pessoas vão e ficam a redor da mesa principal prestando atenção no assunto, e sem ter a coragem de se apresentar, em Aracajú não tem como acontecer, pelo local escolhido. Como é um bar simples onde tem poucos clientes e poucas mesas,
A turma é animada, e o local perfeito.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Ano Novo - Lugar novo - Belém


          E mais um ano se inicia, e o meu trabalho novamente me leva a um novo lugar.
          Desta vez Belém do Pará, eu fui várias vezes no aeroporto de Belém, mas nunca sai na cidade. E agora é o meu novo local de trabalho.
          Durante este final de ano tive algumas brincadeiras interessantes, que contarei depois. Foram bem divertidas.
          A partir de terça-feira dia 13/01/2015, estarei em Belém, quero conhecer a comunidade BDSM da cidade.
Aguardo contato.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Viagem para casa

 

É segunda-feira, dia 15/12 estou embarcando para casa. Morrendo de saudades de BH, e vou ficar mais de duas horas em Salvador, queria companhia soteropolitana, mandei mensagem para três amigos, dia ruim e horário pior ainda no meio do dia, pois  convite era para almoçar 13:45, veja se isso é horário para chamar alguém para almoçar, e o pior no aeroporto de Salvador, para quem não conhece, enfrentar o transito do inicio ao final da Paralela não é fácil, é por isso que agradeço ao Paulinho por ter feito uma força e aparecido, e o melhor trouxe uma amiga Dany, gostei dela. Inteligente e com bom papo, e amiga de Paulinho é minha amiga também. Para quem fica muito tempo em Aeroportos sabe o quanto é bom uma companhia para o almoço, e quando é um amigo que não conversamos a um bom tempo, é melhor ainda.
Então agradeço aos dois, por terem deixado meu pequeno tempo em SSA, muito agradável.


quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Dominação pura e explicita na TV


Ramsay Bolt x Theon Greyjoy,  



Este é o maior exemplo de dominação pura vista na televisão nos últimos tempos.
Eu tenho um vicio, adoro boas séries de TV, elas me distraem e relaxam a mente, a ultima que eu vi, duas temporadas em duas semanas, Game of Thrones, eu adoro a história, vários personagens, sete reinos, inúmeros reis, tenho meu personagem preferido Tyrion Lannister, o melhor, mais inteligente, e o mais articulado de toda a série. 
Mas não é sobre a série que quero conversar, mas sobre dois personagem específicos, Ramsay Snow, que agora recebeu reconhecimento de seu pai, tornando-se Ramsay Bolt, em parte pelo que fez com Theon Greyjoy. 



Pois ele capturou um príncipe, orgulhoso, prepotente, e o transformou em nada. Theon foi esfolado, mutilado, torturado, passou várias privações, de sono, fome, física, foi colocado em um canil, dentro de uma jaula, teve até o seu nome mudado, virou um brinquedo nas mãos de seu dominador. E a dominação não tinha nenhuma conotação sexual. É algo bem mais profundo e intenso.
Claro que é um filme onde a consensualidade não existe, portanto tirando este detalhe mega importante, todo o resto foi muito bem executado.  



Tem algumas cenas que indico (melhor ver toda a terceira e quarta temporada), mas são elas:
- Quando ele finge libertá-lo, é capturado pelo guardas, ameaçado ser estuprado, ele o salva e quando ele pensa que está a salvo, é levado de volta ao calabouço e retorno ao algoz.
- Quando Ramsay castra Theon, (após dias e dias de tortura, durante uma noite, duas moças o soltam do X, e começam a estimulá-lo, até que Ramsay chega e o castra).
- Quando a irmã de Theon tenta resgatá-lo e ele luta para não ser levado, chama o seu algoz, falando que não foi enganado e continua fiel.
- Quando Ramsay entrega uma navalha a Theon, e o mesmo o barbeia, (ele tem tanta certeza do seu adestramento, que sentasse relaxado, enquanto o seu brinquedo passa a navalha em seu rosto barbeando-o, mesmo escutando durante este trabalho, todo o tipo de humilhação quanto ao que Theon ou melhor Fedor se transformou, ele nem cogita cortar o pescoço de seu dono.
- Quando Ramsay após conquistar uma das cidades da família de Theon, fala que ele merece um premio e lhe dá um banho, ao mandar tirar a roupa, em sua face, está um brilho e orgulho do trabalho executado. 


Fedor durante todo o tempo, está em alerta,com medo, sem saber o que virá em seguida, sem saber o que vai receber de Ramsay, e para não sentir mais dor, ele se entrega, total e irrestritamente nas mãos de seu dono. Um adestramento tão profundo que vai durar toda a sua vida.  .


domingo, 9 de novembro de 2014

Domingo com tempo livre para escrever

Hoje é domingo,
dia ótimo para fazer absolutamente nada.
E foi que eu fiz hoje.
Bem não exatamente nada, eu acordei cedo como sempre, vivo reclamando do meu relógio biológico, mas eu o adoro. Pois acordar cedo, sobra mais tempo para descansar.
Fui tomar café, voltei acredite trabalhei, fiz uma planilha que me cliente está me pedindo desde sexta, e olha que me pediu no sábado. Enviei.
Escrevi uma postagem, sobre dominação virtual ou algo parecido, não sei qual das duas vou terminar, e postar primeiro mas tudo bem, não sou tão cronológica assim, fui colocar umas coxas de frangos que comprei já marinadas, apenas para colocar no forno e fritei batatas, pois só como bata frita no bar do pai de uma amiga minha, que é simplesmente espetacular. coloquei cervejas para gelar, almocei, e fui pintar as unhas, adoro isso, eu sou péssima manicure, faço apenas as umas das mãos, do pés vou no salão, mas como eu sei pintar bem, ninguém percebe o trabalho ruim de manicure, e agora estou sentada na cama escrevendo este post. Claro que o sol está lindo e quente lá fora, a praia é muito longe, tenho preguiça de caminhar, e a piscina, aff, lotada. Então estou em um quarto com porta fechada e o ar condicionado no talo e tomando a cerveja que estava no freezer.

Ainda sobre dominação virtual,

Tem um outro sub que tenho conversando, militar, militares já são meio prontos, sabem obedecer ordens, mesmo quando damos tarefas difíceis, eles conseguem executar sem mostrar fraqueza, e a melhor parte é que mesmo com dores, e fragilizados pela situação, conseguem manter a postura firme, Uma vez mandei que colocasse a cueca na boca, e olha que a cueca era boxer, a que eu mais gosto, adoro homem de cueca boxer acho bem mais bonito do que nú, homem nú só fica bonito de costas, sou do tipo que adora bunda, redonda, dura e macia, é perfeita, eu conheço um sub com a bunda mais linda do mundo, brinquei com ele várias vezes em Brasilia, até hoje nunca vi uma tão linda.
Eu sempre mudando de assunto, bem voltando a brincadeira, deixei ele ajoelhado no arroz, de todos os grãos é o melhor, pois é menor e neste caso o menor incomoda mais. acho que foi mais de uma hora, deste esta hora fiz com que ele ficasse reto e sem se mexer, eu adoro, fico observando os micro movimentos, o suor começa a escorrer no rosto, a unica parte ruim desta brincadeira é eu não estar no mesmo ambiente que o brinquedo. Mas entre isso e nada, é melhor, pelo menso eu vejo, escuto. E tenho certeza estou sendo obedecida.

Capitulo III - Este tem que ser o ultimo



Eu estava falando de encontros virtual, se é que podemos chamar de encontro.
Eu não sei a nomenclatura que posso dar a este tipo de encontro. Mas com este novo brinquedo em especial, eu consigo certa sintonia, eu acredito nele. Acho que por isso as coisas estão fluindo bem.

Ele não é tão jovem quanto os novos brinquedos que eu inicio. Sinto nele uma grande vontade em servir, quando conversamos pela cam, eu vejo, o que sinto nas conversas. E usamos todo o tipo de comunicação possível, whatsapp, telefone,
Skype, e-mail, só falta sinal de fumaça, é como se ele estivesse na minha frente.
Se bem que ele está na minha frente, ele fica de joelhos, e eu estou vendo isso acontecer, ele me obedece a cada ordem recebida, teve um dia que a brincadeira foi tão intensa que fiquei molhada.
Eu gostei disso, uma sensação nova, esta interação completamente virtual e real.

Gosto das fotos que recebo de tarefas cumpridas, claro que deleto do meu celular, pois meus sobrinhos cada vez mais espertos, descobriram a senha de 6 dígitos do meu celular, isso por que nele tem joguinhos que eles adoram, e como eu não deixo o telefone com eles, vcs bem sabem o porque,já que recebo todo tipo de mensagem, totalmente proibida para menores de 18 anos, imagine duas crianças de 6 e 8 anos. (não sei por que, eu vivo mudando de assunto).

Voltando ao assunto do virtual / real, e não é por que temos tempo sobrando, é exatamente o contrario, eu trabalho muito durante o dia, ele dá longos plantões, 12, 24, 36 horas, vários empregos, o que me deixa orgulhosa, e preocupada. Mas vou fazer o seguinte, vou deixar para publicar o dia que tivermos nossa primeira vez.

Quando eu puder olhar nos seus olhos, e ver o que vejo pela cam.

sábado, 8 de novembro de 2014

Capitulo II - e último, espero.

Uma observação antes de continuar a história, não sou boa em novelas, deve ser por isso que não assisto, em outro dia esta semana liguei a TV e pensei vamos ver como está a novela.
Assustei, não reconhecia ninguém estava tudo estranho e desliguei em seguida, na manhã seguinte perguntei ao meu taxista, a novela acabou? Ele disse, tem mais de uma semana. Pode isso nem consigo seguir uma novela, ainda mais escrever uma.


Continuando....

Ele pegou a sacola, e foi para o banheiro quente do aeroporto, queria ter visto a cara dele quando viu o tamanho do plug que dei para ele colocar, sem nenhum tipo de lubrificante, à seco, claro que foi de proposito, pois assim ficaria firme depois que entrasse, com lubrificantes em excesso o plug costuma sair.
Eu tinha falado para ele que antes de sair de casa, era para vestir uma calcinha do tipo que ficasse entrando, colocasse o cinto de castidade, e a partir da saída não tinha autorização para comer, nem beber nada. nadica de nada. Pois assim intensificaria suas necessidades. E foi o que ele fez.
Agora ele sabia o motivo da calcinha. Segurar o plug que tinha colocado. Depois disso guardei meu carro no estacionamento e fomos no dele.
Tinha um brinquedo eletrônico para fazer uma solda, e fomos procurar algum lugar perto de casa, não consegui, mas tudo bem, o horário do almoço estava próximo, então liguei para uma amiga baunilha, e a convidei para almoçar. E fomos até a sua casa, quando chegamos, falei para ele descer e abrir a porta do carro, ela sentou-se no banco de trás comigo. Ela ficou meio desconfortável, mas ela achou tudo tão surreal, mesmo comigo ao lado dela, não acreditou. Fomos a um restaurante que ela escolheu, ele abriu as portas e descemos, fomos almoçar, ela é um doce de pessoa, eu gosto muito da sua companhia, então foi um almoço bem agradável, quando terminamos, chamei meu brinquedo-motorista, ele veio pegou as cartelas e pagou nossa conta, nos devolveu, e foi esperar no carro, contei para ela o que ele era, juro adorei sua face, ela estava tão surpresa que tal mundo existia mesmo, pois até aquele dia ela só sabia das poucas coisas que falei para ela, ela me falou, eu nem tenho para quem contar o que aconteceu, por que ninguém iria acreditar, que o pobre do menino, palavras dela, saiu de outra cidade, veiou até BH para ser seu motorista, nos leva para almoçar, e vc nem deixar o pobrezinho comer, (mas eu comprei uma garrafa de água gelada para ele. claro que não deixei ele beber, mas coloquei no console do carro, para ele saber que estava lá quando eu quisesse lhe dar água, ou não).Me despedi de minha amiga, levamos ela em casa, ele errou a entrada, e o pior é que tinha pouco tempo que tinha passado lá pois tínhamos ido buscar-la, perguntei como poderia ser tão burro e não prestar atenção no caminho, ele pediu desculpas, e ela achou que eu estava sendo cruel, e me perguntou baixinho, ele gosta mesmo disso? Me divertir vendo ele suar, errar o caminho, se contorcendo por causa do plug, do cinto, da falta de água, e comida, mas também pelo olhar de incredulidade de minha amiga, imagine se ela visse o que fiz com ele depois.


Depois fomos ao motel, a moça achou estranho quando me viu no banco de trás. Mas não disse nada, mandei que ele ficasse nú, o amarrei e coloquei em pé e descalço sobre meu tapete de tampinhas de cerveja. coloquei nele uma nova gag, comprei várias argolas de aço inox, em uma celaria em Imperatriz no Maranhão, mas comprei para shibari, que eu acho lindo, mas nem sempre tenho saco para fazer. por isso prefiro bondage, que pelo meno imobiliza o sub. tinha comprado fitas de seda, como quei uma ponta em cada lado da argola, que coloquei na boca do escravo e amarrei atrás da cabeça, eu adorei a argola, pois deixava a língua livre,, para o oral, ou para colocar qualquer coisa na boca do escravo,sem que por instinto ele fechasse a boca, e ele não conseguia falar, nada, nem uma palavra, foi uma excelente adaptação.




Bem lembrei agora que a algumas semanas, logo quando cheguei aqui, fiz umas brincadeiras virtuais, já devo ter fala mais de uma vez que não curto muito virtual. Mas como estou começando com brinquedo novo,  foi uma maneira de fazer um pequeno teste, já que ele não está em BH, mas será lá nosso local de encontro.
Com a web cam dá para fazer muita coisa, mas também tem o whatssap que esta semana ficou ainda melhor, pois dá para ver na hora exata que a pessoa leu a mensagem, antes só tínhamos
certeza que tinha enviado, agora temos certeza que fomos lido, fica lindamente azul.




Como estava falando sobre o novo brinquedo, conversamos e estou começando a manter um controle a distância, mando mensagens com tarefas a serem cumpridas ao longo do dia, e durante a noite,
Se bem que é melhor contar esta história, no próximo capitulo.







quarta-feira, 5 de novembro de 2014

1º Capitulo

             

 Vixi, não sabia que era tão difícil escrever uma novela, imagine só, ainda mais a minha que é bem real e cotidiana. Vai ser um pouco complicada. e Terá coisas fora de contexto, pois vou lembrar bem depois.
              Estava em Teixeira de Freitas, minha obra perfeita acabando, tudo deu certo nela, o trabalho, bem feito e rápido de toda a equipe, os amigos que fiz, até hoje nos comunicamos, e acho que vai durar por uns longos anos, devido as maravilhas do whatssap, quem inventou isso tem que estar muito rico, pois merece.
               Mas o mundo sm lá, é totalmente inexistente, ainda bem que todo o resto foi ótimo. Para compensar não é mesmo? Mas, como eu faço viagens regulares para casa, não fiquei na mão. Hoje estou mantendo contato com dois brinquedos novos, vou falar deles também, mas vamos regredir no tempo um pouquinho dois meses  setembro e outubro., se bem, quem eu estou querendo enganar, não vou lembrar assim. Vamos começar do último.

          Tem um escravo, que brinco já tem alguns anos, ele era completamente diferente de mim, não gostava de quase nada que eu gostava, mas era, quer dizer, ainda é bem insistente, e hoje ele já está bem melhor, já aprendeu quase tudo o que gosto, e agora também gosta das mesmas coisas que eu, não está bom, mas pode melhorar. Bem, ele não mora em BH, mas eu falei que estaria em BH no fim de semana do dia 24/10, tinha compromisso no final de semana, então marcamos na segunda, as 11:00 horas, ele me mandou uma mensagem, dizendo que já tinha chegado no aeroporto, eu fui até ele, o peguei no ponto de ônibus, depois fui até aeroporto, parei na entrada de embarque, dei uma linda sacolinha para ele, e disse vá no banheiro e coloque. Ele olhou com cara de espantado, pensou em perguntar o que tinha dentro, mas antes de abrir a boca, eu já estava olhando para ele impaciente, então ele saiu de dentro do carro e se dirigiu ao banheiro do aeroporto, detalhe, estava um calor insuportável, e como eu tinha falado que neste dia, ele seria meu motorista, então ele estava vestido como um, terno preto, camisa branca, e gravata preta. Imagine o calor que estava fazendo, e como o menino suou ao chegar ao banheiro e olhou dentro da sacola....

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Minhas visitas a BH


Neste últimos dois meses eu brinquei bastante, mas não escrevi nenhuma das brincadeira aqui. Também não tirei tantas fotos, mas algumas foram bem intensas, outras inusitadas, e outras com primeiras vezes. um tema que eu adoro.
Portanto prometo que nos próximos dias até a próxima visita a BH dia 14/11, vou narrando algumas das brincadeiras como se fosse uma novela, e como não gosto de novela, vamos reduzir para uma mini-série com data de término.
Droga terei que puxar da minha memória, e ela não ajuda tanto. Mas vamos lá ao primeiro episódio.

Alguns dias ante de viajar....

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Aracajú, meu próximo destino







Estou em BH, passar uma semana em BH, de folga sem ter absolutamente nada a fazer é estranho. Tenho tantos amigos que quero visitar, conversar, saber das novidades. Mas também quero ficar em casa com minha mãe,, sobrinhos, nem que seja para ver tv no sofá da sala.
E também tem meus brinquedos, saudades de usá-los. tenho muita coisa pessoal a fazer também, documentos, casa, banco, revisão de carro, todas estas coisas práticas, que fazemos ao longo do mês e eu tenho normalmente apenas um fim de semana por mês para fazer. 
Eu sei que quando eu for para Aracajú, terei feito menos da metade das coisa que pretendia fazer, e vou continuar tentando fazer de onde tiver.
Meu próximo local de trabalho é Aracajú, só que desta vez será bem mais rápido. 45 dias apenas, será muito corrido, mas eu quero conhecer os praticantes de Sergipe. Sei que tem muitas pessoas e gostaria de entrar em contato e que sabe um encontro. A partir de segunda-feira, 29/09/2014 estarei em Aracajú.


(p.s.; troquei as fotos, agora são minhas já que estou na cidade)


domingo, 24 de agosto de 2014

Teixeira, nunca imaginei !!!

Estou em Teixeira de Freitas, é a primeira vez que nenhum sub local, me procura, quando estou na cidade, mas foi nesta cidade que me senti bem mais feliz, fiz um grupo de amigos que parece uma família. Fazemos festas, nos divertimos, nos ajudamos, vamos a praia e ao trabalho juntos. Desde que comecei este meu trabalho é a primeira vez que sinto uma comunidade coesa, feliz, e realmente interessada us os outros, depois de Teixeira vai ser mais difícil se adaptar. Final de setembro, vou para casa ou para outra obra. Claro de vez em quando sinto muita vontade e brincar, ainda bem que vou a BH e lá é a minha praia, é onde eu mais me divirto. Vou contar minha ultima viagem a BH.

Quem está procurado uma nova aventura mirabolante da Pandora, pode parar de ler. Foi tranquilo, mas desta vez também foi muito bom.

Primeiro eu iria conhecer um escravo novo, E ele foi me buscar no aeroporto, Ainda bem que estava de tênis, por que o estacionamento está cada vez mais longe, se reformarem outra vez este aeroporto, terão que implantar um trasporte para chegar ao estacionamento. Ganhei do sub, um par de chinelos, que foi bem recebido por mim, principalmente por que ele é atleticano doente, então ainda fiz ele tirar meu tênis, colocar o chinelo e beijar meus pés, sei que é um ato de crueldade absoluta, mas não resisti.

Esqueci de falar mas era meu aniversário, Sem muito tempo para brincar, deixei o fim de semana para ficar com minha família, e comemorei meu aniversário na segunda feira, no dia exato, foi tão bom receber os amigos, todos reunidos, baunilhas, sm, e família, gosto muito desta integração, mas a parte que me deixou mais feliz foi uma surpresa que tive.

Eu não faço o tipo romântica, nunca fiz admito, até reclamo quando minhas amigas ou amigos fazem coisas de "mulherzinha" forma pejorativa que uso para mimimi, bem não faço, por eu sei direta sempre, falo o que penso, as vezes até exagero, pois não é todo mundo que está preparado para falar verdades ou escutá-las. Eu sempre sonhei em ganhar um bouquet de rosas vermelhas, lindas, parecia que tinha acabado de serem colhidas, eu ganhei muitos presentes este dia, mas as rosas, foi o que mais gostei,


Claro que brinquei pouco, ou quase nada, mas foi uma ótima viagem, o único problema é que cheguei em Teixeira com vontade de brincar e sem brinquedo. Será que tem algum sub aqui? Acho que só vou descobrir quando eu for embora.





segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Um novo acessório

Como disse estava com saudades de escrever por aqui.
hoje quero falar de um brinquedo novo que eu fiz, super simples, eu gosto de cerveja, a minha preferida é a Stella, bem geladinha é ótima, então comecei a juntar tampinhas de garrafas, foram muitas tampinhas, e quando ganhei um rolo de 50m de silver tape, não pensei duas vezes fim um pequeno tapete de 40x40 e colei as tampinhas com a parte cortante para cima, claro que dá para usar de várias formas, colocar o escravo de castigo de pé nas tampinhas, colocar na cadeira para ele sentar, mas eu fiz de forma diferente.
Já que era um material flexível, coloquei virada para a bunda do meu escravo, e fiz mumificação com ele, bem apertada na bunda, e após enrola-lo todinho, comecei a tortura, spanking, nas costas, cbt, pernas, mas o melhor foi com o rolo do plástico filme, u comecei a bater na bunda do escravo sobre as tampinhas, e bati com força, não imaginam a força do meu braço, usei como um martelo, e ele ficou muito tempo com as tampinhas e a mumificação.
depois de algumas horas, e várias torturas diferentes, eu o retirei o plástico filme, e a bunda dele ficou com um lindo alto relevo. E até o dia seguinte ainda eram bem visíveis as marcas das tampinhas, para falar a verdade, depois de tres semanas, ainda tem vestígios das tampinhas.







sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Saudades

Amigos,

Estava com saudades de escrever aqui, aconteceu tanta coisa na minha vida, nestes poucos meses que nem tive tempo de escrever sobre tudo o que já fiz, eu acho que vou começar por etapas, minha vida profissional e baunilha está de vento em poupa, já devo ter falado muitas vezes, mas eu adoro meu trabalho, realmente me divirto trabalhando, e nesta cidade eu encontrei pessoas incríveis, nunca imaginei que em Teixeira de Freitas, sul da Bahia, terra onde nasci, mas nunca residi, pudesse encontrar pessoas tão diferente e tão divertidas. Está sendo uma experiencia incrível.

Vamos as brincadeiras sm

Eu em março acho inaugurei o presente que ganhei de minha amiga Rainha Frágil, um lindo conjuntinho de empregada, muito fofo mesmo, é claro que experimentei em um brinquedo de BH, e foi um dia muito divertido. Nem vou contar a história toda desta vez. vou apenas postar as fotos.












sábado, 14 de junho de 2014

Teixeira de Freitas


       Uma nova cidade, nova jornada. 
       O meu trabalho me disponibiliza sempre conhecer lugares novos, e a bola da vez é Teixeira de Freitas, no sul da Bahia, nunca fui nesta cidade, mas espero conhecer a comunidade BDSM da cidade.

        

        Fazer amigos, conhecer brinquedos, me divertir, e se tiver alguém na cidade, eu gostaria muito de conhecer, e se for um grupo melhor ainda. Chego no dia 19/06, e quero saber o que esta cidade tem de bom.


domingo, 27 de abril de 2014

Tempo X Novos brinquedos

Estranho, hoje eu consegui tempo para escrever, e estou com novos materiais para fazer novos brinquedos, quando ficarem prontos eu aviso, mas olhe o potencial de cada um deles.


dois rolos de silver tape de 50m, ganhei ontem dá para imobilizar muitos escravos.


Prendedores de madeira, vou colocar em uma corda de nylon, como eles não tem garras, não vão retirar a pele quando forem puxados.


1,50m de cabo de aço, imagine o chicote que isso não vai dar!


abraçadeiras de pvc, usadas para canos e cabos, eu uso para cbt, fica lindo.


Este foi o chicote que usei no ultimo escravo, novinho em folha, dois em um, uma colher de pau, para cbt e bater na bunda do escravo, e na ponta, cabos de fone de ouvido, ganhei em um voo, retirei as pontas, e usei como chicote, por ser fininho, faz um lindo estrago, e o escravo pula.